Ranking: CB 250F Twister sobe para segundo no segmento street

Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou o relatório mensal com o ranking de vendas de motos no mês de abril. No segmento street, apesar de a Honda seguir com o top-3 da categoria, houve mudança nas posições.

CG 160 segue como líder de emplacamentos, mas quem ocupou o segundo lugar no mês passado foi a CB 250F Twister, deixando a CG 125  em terceiro.  A Yamaha completa o grupo das cinco mais vendidas do mês, com a Factor 150 é em quarto e a Fazer 250 em quinto.

Confira a tabela com as dez motos mais vendidas no segmento street em abril de 2018:

RANKING MODELOS STREET
Posição Modelo Mar/18 Abr/18 Acumulado  Participação
HONDA/CG 160 21.489 21.859 80.557 65,07%
HONDA/CB 250F TWISTER 2.609 3.155 10.471 8,46%
HONDA/CG 125 2.516 2.330 9.765 7,89%
YAMAHA/YBR 150 2.037 2.168 7.952 6,42%
YAMAHA/FAZER 250 1.051 1.312 5.018 4,05%
YAMAHA/YS150 FAZER 852 868 3.234 2,61%
YAMAHA/YBR 125 779 703 3.149 2,54%
HAOJUE/CHOPPER 325 313 1.053 0,85%
HAOJUE/DK150 265 287 819 0,66%
10º HONDA/CG150 168 179 678 0,55%
TOTAL 32.370 33.410 123.796 100%

Fonte: Fenabrave

Foto: Divulgação

Fonte: Equipe MOTO.com.br

CONFIRA AQUI MOTOS HONDA EM NOSSO ESTOQUE

Yamaha Ténéré 700 World Raid

O espírito Ténéré está novamente no palco mundial com o protótipo da Yamaha Ténéré 700 World Raid de 2018.

O compromisso da Yamaha com o segmento de aventura é tão extenso quanto impressionante. A primeira moto a vencer o Rali Paris-Dakar foi a Yamaha XT500 (clique aqui para ver as motos que venceram o Dakar!). Não só foi a primeira moto a vencer o Rali Dakar, mas foi também o primeiro veículo a ser vencedor absoluto da mítica prova. Inicialmente, o rali não tinha classes separadas para automóveis e motociclos e, por isso, a máquina da Yamaha lutou contra gigantes como Range Rovers e Renaults para obter um incrível resultado, colocando a Yamaha no primeiro e segundo lugares.

Após outra vitória no Dakar, no ano seguinte, com a XT500, a Yamaha deparou-se com uma concorrência forte perante outros fabricantes que viram o potencial do rali, o que levou a um regresso ao estirador, onde nasceu uma XT 600 Ténéré. A partir daí, o nome Ténéré tornou-se sinónimo de aventura e, ao longo das décadas, a Yamaha trabalhou arduamente para garantir a produção de máquinas ansiosas por explorar o mundo.

O mais recente capítulo desta longa e assinalável história da Ténéré teve início em Novembro de 2016, quando a Yamaha revelou o conceito T7 e a chama da Ténéré se reacendeu (clique para ver mais). Um ano depois, foi revelado um novo protótipo de design arrojado na EICMA, o Salão de Milão. Nascia assim a Ténéré 700 World Raid.

O protótipo da Ténéré 700 World Raid, que está a ser utilizado para desenvolver a especificação final do modelo de produção, foi concebido a pensar na aventura. Esta moto mantém o caráter robusto de rali do conceito de moto T7, mas foi amplamente desenvolvida durante mais de um ano de testes intensivos.

O quadro da Ténéré 700 World Raid é leve e compacto, o que, neste momento, representa um contraste acentuado face às suas concorrentes. Esta nova abordagem do cenário de aventura significa que a Ténéré 700 World Raid tem uma condução incrível tanto, em estrada como fora dela. O motor bicilíndrico compacto de 689 cc proporciona uma faixa alargada de potência disponível, fácil de utilizar e ideal para todos os desafios.

Junta a tudo isto um posto de comando para o piloto, com espaço para equipamento de navegação, um conjunto de 4 faróis inspirados no Rali Dakar e pequenos detalhes que resultam numa moto preparada para qualquer condição, qualquer terreno e em qualquer altura.

Para pôr à prova a máquina de aventura mais avançada da Yamaha, em todos os terrenos imagináveis, sob todas as condições concebíveis e percorrer distâncias incríveis, a Yamaha idealizou o Ténéré 700 “World Raid” de 2018.

Não se trata tão só de mostrar ao mundo o que é a Ténéré 700 World Raid, mas também de mostrar que ela é uma máquina concebida para conseguir o impossível. Neste desafio, a Ténéré 700 World Raid será pilotada por embaixadores com alguns dos nomes mais importantes das competições todo-o-terreno.

Veja as etapas e quais os pilotos que vão enfrentar os desafios:

Os antípodas com Rodney Faggotter

O Ténéré 700 World Raid de 2018 começou na Austrália, uma terra de condições climáticas muito adversas, vida selvagem única e perigos em cada esquina… fazendo as delícias de um verdadeiro explorador.

O primeiro embaixador deste “tour” foi o piloto da equipa Yamaha Official Rally, Rodney Faggotter, que tem conhecimento local deste continente. Rodney tem um historial de uma década enquanto piloto das equipas oficiais da Yamaha e piloto independente. Traz com ele o valor da experiência que é difícil de ultrapassar, tendo superado as expectativas e condições adversas para conquistar o gigantesco Rali Dakar no início de 2018.

Conquistar as dunas com Stephane Peterhansel

A segunda fase do tour ocorre num dos locais mais inspiradores do mundo para aventuras todo-o-terreno, o deserto marroquino. Areia, planícies, rochas e montanhas numa paisagem que é sinónimo de aventura, mistério e intriga.

Acompanhe o tour enquanto este chega até Merzouga, um local lendário pelo seu rali anual, incluído no calendário Rally Raid, mas que também faz parte do histórico Rali Paris-Dakar.

O Ténéré 700 World Raid escolheu o embaixador ideal para esta tarefa, a lenda viva Stephane Peterhansel. Das treze vitórias no Dakar que Peterhansel acumulou ao longo de uma carreira que bateu todos os recordes, seis delas foram conseguidas em motos da linha Ténéré.

Viver o sonho do Dakar com Adrien van Beveren

A terceira etapa começa na Argentina com Adrien van Beveren a tomar as rédeas como embaixador. Vai poder segui-lo enquanto ele regressa à América do Sul para atacar as condições difíceis, num local onde nascem lendas e onde os picos mais altos trazem a promessa de grandes feitos.

A estrela de corridas da Yamaha acumulou três incríveis vitórias consecutivas na lendária Enduropale du Touquet, na sua Yamaha YZ450F. Além disso, maravilhou o mundo com a sua primeira participação no Rali Dakar obtendo um espantoso 6.º lugar da geral fazendo parte da equipa júnior de rali Yamalube Yamaha.

Essa performance garantiu-lhe um lugar na equipa oficial de rali da Yamalube Yamaha onde voltou a melhorar, alcançando o 4.º lugar da geral, acabando apenas a 1 minuto de um lugar no pódio. O Adrien vai levar a Ténéré 700 World Raid aos seus limites no terreno onde esteve tão perto da vitória no início do ano, no Rali Dakar de 2018.

Lendas europeias para atingir novas alturas: Nick Sanders, David Frétigné, Herbert Schwarz, Cristóbal Guerrero e Alessandro Botturi


Nick Sanders
, célebre explorador mundialmente conhecido, começa a quarta etapa, que se irá desenrolar na Europa. Ele vai trazer para esta experiência o seu estilo de vida aventureiro. A sua empresa, Nick Sanders Adventures, é um pilar essencial da plataforma Yamaha Motor Destination, e existem bons motivos para tal. Na sua carreira, Nick Sanders alcançou vários feitos sobre-humanos e dedicou-se a atingir o inatingível em todas as oportunidades.

David Frétigné junta-se ao tour como embaixador e está pronto para ajudar os que têm vontade de aprender e adoptar o estilo de vida Ténéré. David Frétigné teve uma carreira longa e bem sucedida como piloto de enduro de topo e levou para casa o título do campeonato francês de enduro em diversas ocasiões, com a Yamaha WR450F. Também é um piloto do Dakar, com experiência e concluiu a Africa Eco Race de 2015 na XT1200Z Super Ténéré provando a sua afinidade com o espírito Ténéré.

Herbert Schwarz, fundador do Touratech, tem a aventura a correr-lhe nas veias e dedicou a sua vida a ajudar outros exploradores resolutos a realizar os seus sonhos. As suas duas primeiras criações foram um conjunto de malas de alumínio e um computador de moto iluminado que Schwarz usou nas suas viagens por todos os continentes. Assim nasceu o novo segmento de aventura. Herbert Schwarz desenvolve equipamento de aventura há quase três décadas e representa o espírito Ténéré na totalidade. Herbert Schwarz vai juntar-se ao Ténéré 700 World Raid de 2018 como embaixador e estará a dar bom uso aos mais de 850 000 km que tem de experiência de aventura mundial.

 

 

Cristóbal Guerrero tem tido um grande sucesso no enduro, tendo vencido o campeonato espanhol quatro anos consecutivos, sempre com máquinas da Yamaha, e tendo obtido classificações sólidas nos primeiros lugares a nível mundial. A sua experiência em todo-o-terreno será essencial para o Ténéré 700 World Raid de 2018.

Alessandro Botturi assume a liderança na etapa italiana. Botturi é uma lenda na área do enduro, tendo competido em doze épocas do campeonato do mundo e obtido nove títulos do campeonato italiano de enduro, bem como duas vitórias nos ISDE, integrado na equipa italiana. Mudou para a Yamaha e garantiu uma vitória no rali de Merzouga de 2015 e conta com três participações no Rali Dakar, em Yamaha WR450F.

A etapa italiana deste “tour” marca o final da aventura e Botturi vai levar o Ténéré 700 World Raid de 2018 numa odisseia pelas montanhas, na etapa Hard Alpi. Um fim de semana repleto de saltos pelos trilhos mais espantosos dos Alpes, tanto na estrada como em todo-o-terreno, bem acima das nuvens e entre os picos cobertos de neve.

Haveria melhor forma de terminar esta história?

Fonte: http://www.andardemoto.pt/moto-news/37619-yamaha-tenere-700-world-raid-ja-rola/

CONFIRA AQUI, YAMAHA EM NOSSO ESTOQUE

Prontas para dominar o universo das duas rodas

Cresce o número de mulheres que descem da garupa e assumem a pilotagem das motocicletas

É crescente o número de mulheres que estão descendo da garupa e assumindo a pilotagem, seja de modelos scooters ou de poderosas Harley-Davidson. Em março de 2013, foram concedidas 18.417 CNH (Carteira Nacional de Habilitação), na categoria AB (carro/moto), para mulheres. Saltou para 26.527, em março deste ano, com um crescimento médio de 7,5% ao ano.

 Líder de mercado no segmento das scooter, o público feminino representa 50% dos clientes da Honda Biz. Em abril, a montadora comercializou 11.841 unidades, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), liderando as vendas da categoria. No modelo Honda PCX 150, que está em terceiro lugar em vendas com 7.682 comercializadas no mês passado, as mulheres respondem por 35% dos consumidores.

A montadora aposta no design, facilidade de pilotagem e espaço sobre os bancos que acomodam compras e mochilas como atrativos ao público feminino. O conforto no posicionamento das pernas, as linhas mais agressivas, facilidade de pilotagem por ser automática, bastando apenas acelerar sem a necessidade de troca de marchas acionando a embreagem, são os pontos fortes da PCX 150 para seduzir a mulherada.

Anderson Coelho

O interesse feminino pelas motos tem também despertado o mercado para novos produtos dirigidos a esse público

Se para circular pela cidade, elas preferem motos de baixa cilindrada e menores. Quando o assunto é estrada, elas se aventuram nas poderosas Harley-Davidson, BMW, Suzuki, Triumph. Do universo Harley, os modelos Iron 883, Softail Deluxe e Fat Boy são os queridinhos pela praticidade de pilotagem.

“A mulherada está invadindo a estrada”, contou Érica Ferraz Marangoni, 42, designer, do grupo Ladies of Harley. O cadastrado do grupo, que pertence ao HOG (grupo de proprietários de Harley-Davidson, em tradução livre) Red wheel Londrina Chapter Brasil, possui 280 membros entre mulheres que pilotam e andam na garupa.

A designer andou por mais de 20 anos na garupa do marido Marcos Marangoni, até conhecer o HOG londrinense e o grupo feminino. Há dois anos, comprou a primeira moto, uma Deluxe, para cair na estrada. “Quando comprei minha primeira moto nem consegui tirá-la da agência. Naquele dia andei uns 100km dentro de um condomínio para me acostumar”, recordou.

Arquivo pessoal | “A mulherada está invadindo a estrada”, comemora Érica Ferraz Marangoni

No início, ela tinha dificuldade para fazer curvas e estacionar a motocicleta. “A pilotagem em baixa velocidade é o nosso grande desafio, pois as motos são muito grandes e pesadas. É complicado fazer curvas e estacionar”, disse. Dependendo do modelo, uma Harley pode pesar até 400kg. Ela superou a dificuldade com um curso de pilotagem em baixa velocidade. O meu primeiro teste depois do curso foi uma viagem para a Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina”, contou. A serra catarinense é famosa pelas suas curvas fechadas.

As Ladies of Harley participam de cursos de pilotagem, de mecânica, de primeiro socorros para estarem preparadas aos obstáculos da estrada. Elas também costumam adaptar as motos ao biotipo físico. É possível ajustar a posição do guidão para ficar mais confortável a condução, mudar a embreagem, deixar a manopla mais fina, dando mais conforto. Elas também diminuem a altura da bolha. “Eu tirei a alavanca do câmbio traseiro porque enroscava na calça”, exemplificou Marangoni.

BAGAGEIRO 
A designer está na sua segunda moto. Trocou a Deluxe por uma Street Glide branca. Para ela, estar na estrada é um momento de encontro consigo. “Quando você sai da garupa, você deixa de ver o mundo de lado para ver de frente”, definiu.

Andar de moto ensinou Marangoni a ser prática na hora de arrumar a mala. O senso comum de que mulher carrega o guarda-roupa quando viaja não combina com as Ladies. O bagageiro compacto das motos exige a otimização dos looks. Isso explica a escolha do visual preto das roupas.

“É uma questão de praticidade. Precisamos de roupas que podem ser usadas mais de uma vez. Também escolhemos tecidos que não amassem. O espaço pequeno do bagageiro te ensina a levar só o essencial. Hoje, arrumo a mala de acordo com o lugar da viagem e monto os visuais”, contou.

Na mochila não podem faltar a capa de chuva, várias blusinhas para mudar o look e sapatos – porque, afinal, mulher gosta de sapatos -, mas nada de quantidade. “É só um sapato mais confortável para quando descer da moto”, disse.

ESTILO 
Para diversificar o look, elas contam com acessórios como lenços, balaclavas, luvas, botons. A moda agora são os lenços Buff que permitem diversos usos. Pode ser usado como uma gola, um amarrador de cabelo, uma bandana, uma faixa ou envolver todo o cabelo.

Essenciais, as luvas também variam de modelos e cores. Podem ser de verão, com materiais mais arejados, de inverno, impermeáveis, com ou sem ponta. O capacete é universal e varia apenas de tamanho, mas elas dão os seus toques pessoais. “A mulherada está customizando os capacetes. No meu, por exemplo, coloquei uns brilhinhos (sic)”, disse.

As roupas chegam cada vez mais com design que valorizam a silhueta feminina. As jaquetas com cordura (acolchoadas) são acinturadas, as calças, mesmo com a proteção de joelho, são estilosas, com bordados, zípers e detalhes que valorizam o look. “Chegou uma jaqueta com franja, nunca tivemos franjas”, brincou Érica Ferraz Marangoni, mostrando a peça recém-chegada na loja.

Aline Machado Parodi
Reportagem Local
Fonte: https://www.folhadelondrina.com.br/carro-e-cia/prontas-para-dominar-o-universo-das-duas-rodas-1006280.html

Esta moto BMW é um charuto… com orgulho

As motos clássicos são alvo do mesmo cuidado que se mostra com os automóveis, no que diz respeito à restauração mais aproximada possível do modelo original. Mas muitas motos de antigamente eram também associadas a uma ideia de liberdade e descoberta do mundo, de uma forma muito pessoal para quem gostava de se sentar neste veículos de duas rodas e guiar durante centenas de kilometros, em busca de aventura.

É esta forma pessoal de ver a moto que levou a Cytech Motorcycles, uma garagem sul-africana especializada no restauro e preparação de motos clássicas, a criar esta versão personalizada de uma BMW R80/7. Os seus proprietários encomendaram uma pintura especial para celebrar o seu gosto por charutos cubanos da marca Cohiba, para acompanhar um projeto semelhante, em que decoraram outra moto BMW com decorações da Martini.

Além desta pintura, a Cytech Motorcycles também reconstruiu completamente o motor de 800 cc da moto BMW, rebaixando os garfos das suspensões e instalando guarda-lamas ligeiramente mais largos, que favorecem o caráter aventureiro desta moto.

Fonte: https://www.motor24.pt/motores/classicos/esta-moto-bmw-um-charuto-orgulho/

 

CONFIRA AQUI AS BMW EM NOSSO ESTOQUE

Scroll to top